Quanto tempo você tem para seus filhos? Os valores de um pai padrão!

865

A Happytripworld está me dando a oportunidade de ver além das páginas de um livro, muito já li e estudei sobre educação infantil, sobre limites e o que é positivo ou não para educar filhos, não tenho filhos e não tenho a experiência real da grandiosidade e complexidade que é poder oferecer ao filho um horizonte feliz, mas posso dizer que observando amigos que são pais, vejo com muita clareza o que é saudável ou não para uma criança em formação. Içami Tiba um grandioso psiquiatra que dedicou sua vida a auxiliar na educação infantil, palestrante de renome e que tive a oportunidade de estar palestrando junto a ele em alguns eventos me dizia sempre que hoje formamos crianças tiranas, os pais pela falta de tempo e ou pela falta de comprometimento estão delegando a terceiros a educação dos filhos e como forma de compensar a ausência utilizam do suborno para aliviar quem sabe a culpa de não exercer de fato o papel de pai.

Nas minhas andanças conheci faz exatos um ano um pai de família chamando de Anderlin, ele aos seus 45 anos está na luta para conseguir trazer o sustento para sua casa, pagar o aluguel e todas as contas, lutar para que seus sonhos não fiquem dentro da gaveta e somado a toda essa carga de trabalho e vida dedica sem medir esforços no envolvimento direto da educação de suas filhas gêmeas e na construção dos sonhos das meninas.

A proposta da Happytripworld a Psiquiatria sem fronteiras não é roteirizar o que os livros nos falam, a proposta é mostrar o que eu vejo de positivo ou não acontecendo.
O título “PAI PADRÃO” foi pensando numa analogia do operário padrão, um conceito de trabalhador de referência, ai pensei; porque não uma referência de pai padrão, com certeza e por felicidade dessas crianças existem muitos pais que não se limitam a ser apenas mantenedor, eles querem sim participar da construção de seus filhos.
Anderlin é um desses pais que quero falar a vocês, ele não é um empresário bem sucedido, nem tão pouco tem uma conta bancária com muitos dígitos e poder curtir sua vida na praia de Garopaba SC, e entre uma onda e outra brincar de ser pai, não, ele é um trabalhador que rala nesse país, e mesmo com curso superior e com uma enorme motivação e suor ainda não usufrui de todo esforço de carreira.

Todo esse cenário não o limitou a participar da vida das filhas gêmeas, e num belo dia suas filhas falaram a ele vendo atletismo na TV! Pai queremos ser atletas!
Assim sua missão de pai padrão se movimentou para que elas pudessem ter os primeiros passos para a formação de atletas mirim, procurou com seus recursos escassos pessoas que pudessem orientar e as meninas iniciaram suas primeiras provas.
Um ano após conhecer sua história, me sensibilizo com a dedicação de um pai de levar as filhas para provas, buscar recursos para que elas possam viajar nas competições, para que possam ter o preparo físico adequado, bem como equipamentos que são necessários.
Não sei dizer se de fato as meninas gémeas de Garopaba serão no futuro grandes atletas, mas sei dizer com certeza que a probabilidade dessas meninas terem um envolvimento com drogas e outras ações ilícitas são praticamente nulas, esse é o grande legado desse pai, que está dando a oportunidade de duas crianças viverem seus sonhos, aprender sobre foco, aprendendo a lidar com vitórias e derrotas, aprendendo a conviver de forma saudável com a competição e construindo uma base solida de relação interpessoal, certamente essas meninas quando adultas terão uma referencia positiva da figura do pai, da figura do homem e da importância de se envolver e doar seu tempo a quem você ama, esse sim é o maior legado desse pai padrão.
Carros de presente, celulares de última geração, roupas, jóias, viagens, dinheiro, tudo isso não irão alimentar seu filhos de valores que você deseja que eles tenham quando forem adultos. Seu filho precisa antes de mais nada de um pai que possa estar presente e participativo na sua criação, talvez alguns pais lendo esse texto possam me dizer que não tem tempo para isso, e eu vou dizer que não é falta de tempo, é falta de prioridade, no momento em que você se tornou pai, nesse momento você tem sim uma responsabilidade direta na formação dessa criança, não é apenas recurso financeiro, o bem mais rico do ser humano é o nosso tempo, e é esse recurso que seu filho necessita, seu tempo!
Ai eu te pergunto, você está disposto a doar seu bem mais precioso que é o tempo para seu filho? ou você vai dizer que não tem tempo, mas o tempo para o choppinho, para as festas… você encontra, não estou aqui dizendo para não tomar o seu choppinho, só estou pontuando que seu filho está em crescimento e que o futuro da felicidade e sucesso dele está diretamente ligado a sua criação, ao tempo que ele recebe dos pais.

Anderlin como disse é um pai padrão, não porque é perfeito, mas porque não se acovardou de exercer o papel de pai, entendeu sua importância na etapa de seus filhas, e gasta seu bem mais precioso e escasso que é o seu tempo para a construção de duas meninas que com certeza só trarão alegrias a ele, alias já trazem a ele e toda sua família, bem como na cidade onde mora, e ainda temos a semente de ter no futuro mais duas medalhistas nas olimpíadas e dar alegrias a mim, a você e todo o Brasil.
Anderlin, pai padrão, você já tem sua medalha de ouro no seu peito, medalha em forma de coração de um pai que antes de mais nada assumiu seu papel de homem de verdade, o papel de pai de verdade, não se acovardou no escudo da desculpa da falta de tempo,
de dinheiro, certamente suas filhas hoje já te alimentam do que o ser humano mais necessita, que é de amor.

Viva Você

Quer conhecer mais da História promissora das atletas gêmeas e seu pai padrão! você também pode fazer parte dessa história!

ANA MEES VALÉRIO e HELENA MEES VALÉRIO

fale com o pai delas ANDERLIN: 48-998169925

 

Baixe o artigo completo em PDF