Sempre não é todo dia, e nem sempre o que pensamos ser é o que de fato é verdade. Assim está sendo minha vivência dessa semana conhecendo o Tratamento que afirma Curar o Vício. O que você vai dizer quando de fato você conhece Pastores, Bispos e incontáveis viciados que mudaram seus comportamentos e que literalmente criaram aversão ao uso de qualquer tipo de droga?

post

Não estou falando porque eu li, ou vi em um vídeo no Tube ou TV. Eu estou falando do que presenciei na Igreja Universal na Av. João Dias, 1800 – São Paulo/Capital, aquele famoso templo que tempos atrás eu passava na frente, retornando para o Bairro Morumbi onde morava, e de forma leviana desdenhava de tudo que eles faziam e fazem até hoje.

Nesse local, que como já disse muito eu critiquei, hoje convivo, fazendo amizades maravilhosas com todo o pessoal que faz essa mega estrutura funcionar, uma proposta que vai além da ideia que tinha de Igreja. E aí, você vai dizer o quê, depois de ver o que eu tenho visto? Eles estão de fato salvando drogados da cracolândia, libertando milhares de pessoas do vício, e fazem isso na sua frente. Permitem que você conheça casos e mais casos de pessoas que foram “curadas”das drogas.

No mínimo você irá se impressionar ao conhecer casos de drogados que passaram décadas em presídios, outros passaram por dezenas de internações, muitos por unidades psiquiátricas, até manicômio judiciário, com diagnósticos fatalistas. Ouvi da boca de um drogado, que antes do tratamento na Universal, se considerava uma medusa (aquela da cabeça de serpente, onde tudo que toca vira pedra). Perfeita analogia, pois é exatamente o pensamento de drogado, que tudo que vê imagina que pode virar uma pedra pra fumar!

E aí, eu te pergunto: quanto vale esse tratamento que eles oferecem? Quanto vale o recuperar de uma vida já perdida pela medicina convencional?

Olhando para esses aspectos, só tenho a dizer que simplesmente rotular, ser intolerante e preconceituoso com um grupo de homens e mulheres que doam suas vidas para que mais vidas possam de fato nascer, não faz sentido!

Como Psiquiatra digo que nesses 25 anos atendendo, tive a oportunidade de conhecer modelos e modelos de tratamento, acompanhei o sofrimento, as recaídas, os sentimentos negativos, a depressão e todo tipo de perda de vida em razão das drogas e do álcool. Quem tem um familiar com esse problema ou vive isso, entende muito bem o que eu digo, e sabe que poder encontrar um lugar que te leve a resgatar a esperança, é algo que não tem valor comercial que pague.

Não tenho pretensão alguma de te convencer de alguma coisa. Entretanto, antes de pensar em charlatanismo, histeria coletiva ou qualquer outra defesa, que tal se perguntar o que tem feito para ajudar essa gente?! Se mesmo assim o preconceito te impede de olhar com bons olhos, faça como estou fazendo, vá conhecer de verdade.